Pela nova lei, os salões de beleza poderão firmar contratos de parceria com profissionais cabeleireiros, barbeiros, esteticistas, manicures, depiladores e maquiadores, que atuarão como microempreendedor individual, sem vínculo empregatício, desde que respeitadas as condições da parceria estabelecidas no contrato, evitando assim problemas com a justiça, como Redução dos tributos, pois o salão-parceiro fica dispensado de pagar encargos como 13º Salário, contribuição previdenciária e FGTS.

Incentivando assim o empreendedorismo, garantirá a melhoria da segurança jurídica entre o salão e o profissional, te trará aumento da carteira de clientes e a possibilidade do aumento de renda.

Neste caso, você como profissional parceiro não deve ter uma relação de subordinação, ou seja, não terá relação de emprego com o Salão Parceiro.
Este artigo foi útil?
Cancelar
Obrigado!